27 de jul de 2009

Moedeira de EPP



Esta bolsinha é um dos meus trabalhos mais queridos.
Ela foi editada em uma revista e até hoje as pessoas me escrevem sobre ela.
É toda feita à mão e muito fácil de fazer.
Aqui, um pouco do material básico que vai utilizar para fazê-la.
Foto de revista (nunca completa! Rs...)



EPP é a sigla da técnica de patchwork que significa English Paper Piecing.
Aqui no Brasil a técnica foi difundida com o nome de Jardim da Vovó.
Mas o nome pouco importa.
O mais interessante nessa técnica é o fazer.
E fazer EPP é uma coisa muito prazeroza.
Tenho uma amiga que ama esta técnica e está se especializando nela: Sandra Pakalnis. Inclusive, na última Mega Artesanal eu a convidei, em nome da Uniart Brasil, a dar oficinas de EPP na II Mostra de Patchwork e Arte Têxtil. Ela que me ensinou a fazer esta técnica, há uns anos atrás, e é uma professora muito boa.



Foi um sucesso!
Como ela adora fazer, passa isso para as pessoas e consegue envolvê-las por completo.
Uma professora nata!

Na foto abaixo usei entretela com cola em um dos lados.
Você deve escolher o tecido da sua moedeira e colocar o lado com cola da entretela no avesso deste tecido que escolheu.
Vai precisar de apenas 16 hexágonos de 3cm de lateral para fazer esta moedeira.
E pode posicioná-los todos no avesso do tecido.
E deve manter uma distância entre eles, pois precisarão de margem para serem costurados.
Na época que fiz esta matéria usei os cotton tela da Virtual Brasil.
Mas atualmente eu prefiro e indico os hexágonos do Atelier D. Fuinha.



Ao passar a ferro, a cola da entretela gruda no tecido que você escolheu e isso facilita o seu trabalho na hora de fazer esta técnica.
Ferro morno já basta.



Quando as entretelas estiverem grudadas no tecido, é só cortar ao redor, mantendo o formato deles.
É possível fazer com papel e depois retirá-lo.
É o jeito tradicional de fazer esta técnica e, inclusive, Sandra Pakalnis só faz com moldes de papel.
Eu, como não gosto de tirar, desmanchar, desfazer, prefiro as entretelas.
Elas já vêm cortadas e eu não tenho de retirá-las depois, pois permanecem no trabalho.


Olha como elas ficam, depois de aderidas ao tecido e cortadas.



O passo seguinte é alinhavar todos os hexágonos.
Um a um, vire as margens de costura para o avesso usando a entretela de guia e alinhave todos os 5 lados.
No final este alinhavo é todo retirado.



Ele fica assim.
Percebe como a forma do hexágono permanece, depois do alinhavo?
Isso é importante para não deformar o trabalho.
Por este motivo usamos os moldes, de papel ou de entretela.



Feitos todos os 16 hexágonos, o próximo passo é uní-los um a um.
E um detalhe importante é que as pontinhas deles devem estar bem unidas.
Por este motivo eu sempre começo com elas.
Entre com a agulha pelo avesso e vá com a ponta dela bem no canto do hexágono.



E quando começar a unir os dois, o primeiro ponto deve pegar exatamente na ponta do outro hexágono.
Assim eles ficam bem pareados e a costura não distorce o formato do hexágono.
De vez em quando os lados deles não ficam exatamente do mesmo tamanho por causa do tecido ou do seu alinhavo.
Mas isso não é problema.
Muito ao contrário.
Todo trabalho feito a mão tem esta característica.
O que não quer dizer que você não terá exatidão.
A costura bem feita deixa tudo unido de forma geometricamente exata!
Pareando-os bem e unindo ponta com ponta você mantém a forma hexagonal sem problemas.



Eu uso dois tipos de linhas para fazer este trabalho: ou faço com dois fios de mouliné ou faço com linha Sylko.
Há quem prefira usar linha de costura 100% algodão e há quem prefiras usar as linhas sintéticas.
O único detalhe que devemos lembrar nesta hora é que o material que você escolhe usar depende do projeto que for fazer.
Se vai fazer um trabalho que será sempre lavado e passado, prefira as linhas de algodão.
Dizem que as linhas sintéticas derretem no ferro.
Nunca aconteceu comigo.
Entretanto, convém precaver-se.

Você deve unir os dois hexágonos entre si com pontinhos bem miudinhos.
Eu sempre os custuro pareando-os direito com direito do tecido.
Mas conheço que faça o contrário e o trabalho não fica feio.
Na foto abaixo eu os costurei com o ponto que estão vendo, para que ficasse bem visível na revista.
Entretanto, eu uso o ponto invisível.
Prefiro.
Mas há quem prefira este ponto de costura porque isso deixa o trabalho mais caracterizado como um handwork (trabalho todo feito à mão).
Além do mais, fazer estes pontinhos não deixa de ser uma arte!
São minúsculos dos minúsculos dos minúsculos!!!!



Olhe como fica o lado direito, depois dos hexágonos estarem unidos.
O ideal é você escolher uma linha que seja da cor do tecido.
Aí a costura aparece somente aos olhos de quem realmente quer ver.
Mas nada impede de você escolher uma cor totalmente diferente e que faça um composê linha-tecido.
Você destaca a costura, acrescenta cor ao trabalho e sai da mesmice.
Já fiz isso e deu certo.
Aliás, sempre dá certo.
Esta técnica não tem erro.



Revista é um caso sério!
Por causa de espaço, na edição, todas as fotos que mostravam a totalidade do passo a passo foram cortadas.
Mas nada que torne inviável fazer esta bolsinha.
Para unir os hexágonos entre si há um esquema de montagem.
O esquema é este:



Você costura todos os 16 hexágonos de forma que o top fique com exatamente este formato, com o direito do tecido para cima.

O ideal é você imprimir o esquema e fazer um moldezinho de papelão, para sempre tê-lo entre suas coisas.
Essa é uma bolsinha que você faz em apenas uma tarde e é um presentinho muito lindinho que pode fazer para dar.
E para quê o molde de papelão do esquema acima? Para cortar o forro.
Ao cortá-lo você deve deixar uma margem de costura.
E, como pode observar na foto abaixo, o próximo passo é costurar o forro no top que fez.
Colocando avesso com avesso você dobra as margens do forro para o avesso e costura, alfineta e costura a volta toda com os mesmos pontinhos minúsculos que costurou os hexágonos.
E neste ponto, um detalhe: há dois modos de fazer esta moedeira.
Num deles você não coloca manta e costura entre si apenas as duas camadas (top + forro).
A moedeira fica molinha para colocar no bolso ou jogar na bolsa, sem fazer volume.
O outro jeito é usar a manta para dar estrutura à moedeira.
Dessa forma ela fica em pé.
Para quem escolher colocar a manta o procedimento é assim: corte a manta do tamanho do esquema que eu postei acima, sem margem de costura.
Depois de cortada a manta, coloque-a no avesso do tecido do forro, vire as margens do tecido para o avesso e alinhave.
Pareie com o top da moedeira, avesso com avesso e costure com pontinhos miúdos.
Depois de tudo pronto você terá um sanduiche de dupla face.
O top, com os hexágonos que costurou e o forro estarão ambos do lado direito.



Olhe este esquema abaixo e observe.
Tem dois números de cada, está vendo?
Esse é o esquema para você costurar esta moedeira sem erros.
É só unir as laterais que tenham o mesmo número.
Costure 1 com 1, 2 com 2, 3 com 3 e assim por diante.



Sempre que eu volto a fazer este projeto eu coloco em cada lateral dos hexágonos, enquanto a bolsinha ainda está toda aberta, um pedaço de fita crepe com o número respectivo, conforme o esquema.
Na hora de costurar fica muito mais tranqüilo. Aí, eu tiro as fitas conforme vou costurando os pares de números.
Agiliza o trabalho e isso não dá erro, apesar da estranheza de quem a faz pela primeira vez.
Durante a costura ela vai se fechando.
E para costurá-la você pode escolher fechar toda ela pelo lado do forro ou pelo lado dos hexágonos.
Tanto faz, desde que os pontinhos sejam minúsculos.
Então, siga o esquema.
Na parte de baixo dela ficará uma base triangular.
A tampa dela serão estes 3 hexágonos na parte superior do esquema.
É meio maluca, a montagem, mas o resultado é uma graça!

Depois de costurada, devemos colocar o fecho.
Neste projeto que eu fiz para a revista, costurei um botão de pressão para fechá-la. A abertura dela é pequena e esse tipo de botãozinho é o suficiente.
Um dos lados do botão vai neste hexágono que tem os números 3 e 4 como laterais.
O outro vai na tampa.



Esse da tampa vai pelo lado de dentro.
Portanto, eu sempre coloco um botão decoratico do lado de fora, para enfeitar e dar um charme.



Olha como fica bonitinho.



E a moedeira pronta, fica assim.
Não é um belo projeto?

9 comentários:

Elena Jorge Padrón disse...

Gracias por el tutorial, me encanta esta bolsa, la había visto anteriormente pero no sabía como hacerla hasta que te he descubierto, que alegría me has dado!

rosa laura orrico prado disse...

Maravilhoso tutorial, parabens. Me encantei.

wilma oud disse...

Gracias por el tutorial

Schwan disse...

¡Mil gracias! Me ha encantado. Lo había visto, pero no tenia ni idea de como hacerlo hasta que te he encontrado. Una pena que no tengas en español el blog (o que yo no sepa portugués), porque hay algunas cositas que se me escapan. Pero de verdad que muchas, muchas gracias por compartirlo con nosotras. Un beso.

Cíça Mora disse...

Schwan querida, me alegro de que te haya gustado. Anote mi e-mail (maria.cecilia.mora@gmail.com) y enviarme sus preguntas. Así que podemos hablar con la ayuda del Traductor de Google para todos los detalles de las instrucciones que se convierte en fácil de entender para usted. Un fuerte abrazo, cariño!

Regina Salgado disse...

Muito linda sua (agora nossa,kkk) moedeira!!!
Obrigada por compartilhar conosco seu trabalho.
Abraçoc.
Regina salgado

mae disse...

Me encanto el monedero,gracias por compartir la hechura del patron.Eugenia

Iracema Santos disse...

Muito fofa!! Vou fazer muitas tbm. Obrigada, bjs....

Iracema.

Nanny@nannynotes2u disse...

Hi! thank you for a lovely tutorial. I used it to make a pouch!
http://nannycraft4u.com.au/2015/04/spin-the-pins-make-a-hexie-pouch/